Investigação científica

Sessões de biodanza para grupos clínicos

Estudos têm demonstrado benefícios da inclusão das artes na saúde pública e promoção da saúde. A Biodanza é um tipo de dança que tem por objectivo promover a saúde e o desenvolvimento humano ao encorajar a autoexpressão através da música, movimento e interação com os outros.

Márcia Santos desenvolveu dois estudos de investigação sobre o sistema Biodanza. Um deles foi desenvolvido no âmbito do Mestrado em Enfermagem e o outro no âmbito do Doutoramento em Saúde Pública.

Márcia Santos Biodanza Clínica


Biodanza e Saúde: Que intercepções?

Estudo Preliminar sobre as características sóciodemográficas e de motivação para a participação em grupos regulares de Biodanza.
Instituição: Escola Nacional de Saúde Pública, Universidade Nova de Lisboa

Objectivos: O estudo tem como objetivo descrever as características sociodemográficas e as motivações que levam à frequência de um grupo de biodanza numa amostra de praticantes adultos em Portugal.

Material e Métodos: Para o estudo foi realizado um estudo transversal, tendo sido disponibilizado um questionário via online aos praticantes de Biodanza, que responderem de forma anónima e confidencial. Os dados foram tratados em Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 24, com recurso a análise descritiva, análise de two step clusters e regressão logística binária. O nível de significância foi determinado em p=0,05.

Resultados: No estudo 180 praticantes de Biodanza responderam ao questionário, sendo elegíveis para o estudo 174 praticantes que responderam à totalidade das perguntas. Os resultados indicaram uma percentagem maior de pessoas do sexo feminino, na faixa etária entre os 36-55 anos e maioritariamente com o ensino superior. A principal motivação para praticar biodanza é o desenvolvimento pessoal seguida do convívio e da saúde. Identificaram-se dois clusters de praticantes, onde há um predomínio, num dos perfis, da identificação do desenvolvimento pessoal concomitantemente com a não identificação com os outros domínios de motivação. Verificou-se ainda que a identificação da motivação partilha diminui a probabilidade da não identificação do desenvolvimento pessoal e que a identificação da atividade física e outra aumentam a probabilidade da não identificação do desenvolvimento pessoal.

Conclusões: Com o estudo de cariz principalmente exploratório, procurou-se iniciar um processo de compreensão das razões e motivações implicadas na decisão de utilizar o sistema biodanza e descrever as caraterísticas sociodemográficas dos seus praticantes. Concluímos que o perfil de utilizadores de Biodanza se assemelha ao perfil de utilizadores de terapias com recurso ao movimento, constituindo o desenvolvimento pessoal a principal motivação para a frequência desta atividade. Será importante implementar estudos mais sistematizados acerca deste tipo de intervenção e dos benefícios que ela poderá oferecer.

Autoras: Márcia Santos e Carla Nunes
Dados recolhidos por: Ana Garoupa

 

Tese de Mestrado
Dançar a Vida: a dança enquanto estratégia psicossocial
Instituição: Escola Superior de Enfermagem de Lisboa

Objetivos: Este estudo enquadra a intervenção terapêutica com Biodanza, ao nível da Reabilitação Psicossocial, nos contextos de adultos com deficiência intelectual e de adolescentes com doença mental. É assim pretendido, com este trabalho, fazer uma avaliação dos efeitos de um programa de dança, estruturado com base no Sistema Biodanza, nestas populações, através de modelos de observação, com base na expressão corporal e num conjunto de representações sensoriais e corporais que a dança proporciona, numa ótica de investigação-ação.

Material e métodos: Para a realização da avaliação do programa de intervenção do estudo selecionou-se uma metodologia de análise quantitativa por meio da utilização e aplicação da escala de Avaliação LMA Adaptada “Freedom to move” (Dunphy & Scott, 2003) e grelhas de observação NOC (Classificação dos Resultados de Enfermagem, 2010) adaptadas, e numa análise qualitativa do programa de dança, na perspetiva dos participantes e na perspetiva do terapeuta.

Resultados: Verificou-se a potencialidade da Biodanza, em reabilitação psicossocial, no favorecimento do sentimento de prazer e bem-estar na conexão com o aqui e agora, conexão e comunicação com os outros, noção do corpo, amplitude dos movimentos, capacidade física e coordenativa, conexão entre o pensamento, a imaginação e o corpo e no favorecimento da autoestima, habilidades de interação social, comunicação: expressão e movimento coordenado.

Sentimento de prazer e bem-estar

  • Expressão Facial
  • Postura
  • Nível de envolvimento
  • Nível de entusiasmo

Conexão com o aqui e agora

  • Atenção na atividade de grupo

Conexão e comunicação com os outros

  • Contacto visual
  • Uso do espaço pessoal

Noção do corpo, amplitude dos movimentos

  • Utilização do espaço (dimensão)

Conexão entre o pensamento, a imaginação e o corpo

  • Habilidade para explorar o pensamento ou sentimentos através de movimentos expressivos

Auto-estima

  • Manutenção de uma postura erecta
  • Manutenção do contacto com os olhos
  • Consideração e aceitação dos cumprimentos dos outros

Nível de ansiedade

  • Tensão muscular

Habilidade de interação social

  • Cooperação com os outros
  • Mostra de sensibilidade aos outros
  • Mostra de receptividade

Comunicação expressão

  • Uso de linguagem não-verbal

Conclusões: Verificou-se a potencialidade da Biodanza enquanto Sistema de desenvolvimento humano, que proporciona aos seus participantes a facilitação de um conjunto de competências extremamente importantes em saúde mental e psiquiatria como a autoestima, as habilidades de interação social e a comunicação.
Autora: Márcia Santos
Orientador: Professor Doutor António Antunes Nabais

Márcia Santos Facilitadora Didata de Biodanza
Especializada em Biodanza Clínica e Social, Biodanza e Saúde Mental e Biodanza para Crianças e Jovens